Pix estreia após período de testes

Pix estreia após período de testes

Depois de duas semanas em fase de testes, o Pix, sistema de pagamentos instantâneos estreia sua operação em capacidade total.

Por Redação em 19/11/2020

Depois de duas semanas em fase de testes, o sistema de pagamentos instantâneos Pix estreia sua operação em capacidade total. O dia escolhido para a estreia oficial do Pix foi 16 de novembro de 2020.

Mas o que isso significa? Significa que a partir de agora, todos os clientes de bancos ou instituições financeiras poderão realizar transferências em segundos, sem restrição de dia ou de horário e sem as taxas das transferências tradicionais (doc e ted).

A plataforma do Banco Central que faz todo o gerenciamento deste novo sistema de pagamentos levou cerca de dois anos para ficar pronta. De acordo com o jornal Gazeta do Povo, o Pix foi desenvolvido em conjunto com bancos e demais instituições financeiras.

Pouco mais de 700 bancos, fintechs, cooperativas e demais instituições financeiras receberam a liberação do Banco Central para integrar o sistema Pix.

Na prática, isso quer dizer que qualquer pessoa que tenha conta em uma dessas instituições liberadas pelo BC poderá fazer ou receber transações de forma instantâneas sem intermediários.

João Manoel Pinho de Mello, diretor do Banco Central, coordenou os trabalhos de implantação e desenvolvimento do Pix. Segundo ele, neste período inicial de testes, foi para garantir que o sistema de pagamentos entrasse “o mais afinado possível em seu funcionamento amplo”.

A declaração ocorreu durante live promovida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Ele afirma também que “abertura controlada” serviu para detectar “problemas pontuais” no sistema. “É difícil saber quais são e antecipá-los é por isso que junto com o mercado, com as instituições financeiras, instituições de pagamentos, as cooperativas, e outros atores nós tivemos esse período de duas semanas de testes”, acrescenta.

Estimativa

O Banco Central estima 94 milhões de transações diárias a partir da estreia das operações do Pix. Embora o número seja bastante interessante, é considerado subdimensionado pela Dínamo, empresa responsável pela segurança do sistema junto ao Banco Central.

Por outro lado, segundo o engenheiro de Soluções Tadeu Barreto, a expectativa da Dínamo é de até 300 milhões de transações por dia, bem acima do previsto pelo Banco Central.

Pix estreou, e agora?

Uma transação pelo Pix poderá ser realizada por meio do aplicativo do banco, fintech ou outra instituição habilitada pelo Banco Central para operar o sistema. Em outras palavras, você utilizará o Pix através do aplicativo do seu banco, afinal de contas, não existem apps específicos do Pix.

Dessa forma, lembre-se que quaisquer links que indiquem cadastros do Pix pode ser fraude.

Em contrapartida, segundo a reportagem, o Pix permitirá o pagamento de compras no comércio, quitação de impostos, pagamentos de fornecedores e transferências durante as 24 horas do dia e nos sete dias da semana, sem restrições para domingos ou feriados.

Para fazer um pagamento ou uma transferência, bastará acessar o ícone do Pix dentro do app do banco ou internet banking, inserir os dados do recebedor ou a chave Pix dele e, assim, mandar o dinheiro de modo imediato e totalmente rastreável.

Para ler a reportagem da Gazeta do Povo na íntegra, clique aqui.


Foto: Luis Villasmil.