Por Redação em 05/10/2020

O Ministério da Agricultura divulgou no dia 1o. de outubro que passado que sementes misteriosas chegaram a 17 estados além do Distrito Federal. De acordo com o portal de notícias, G1, eram oito casos registrados até então. E, como pode ser visto nesta outra notícia do portal altavista.news, na verdade este número já foi atualizado para 23.

Cerca de 181 amostras das sementes misteriosas já foram recebidas pelo Ministério da Agricultura, que está analisando juntamente com o Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA) de Goiânia.

A questão é que as sementes originarias de países asiáticos como China e Malásia e da região administrativa chinesa Hong Kong, não foram solicitadas por quem as recebeu.

Nós já noticiamos aqui no altavista que os Estados Unidos também estavam investigando essa questão.

Embora a Embaixada da China no Brasil tenha negado que os pacotes entregues no Brasil tenham vindo daquele país, se colocou a disposição para cooperar com a investigação junto das autoridades brasileiras.

Recentemente os chineses informaram que fizeram uma apuração junto ao China Post, uma espécie de correios do país, e foi contatado que as etiquetas de postagem apresentaram indícios de alteração.

Apesar disso, não muda a realidade do Brasil. As intercorrências foram registradas nos seguintes estados: Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Sementes misteriosas

Diante do caso das sementes misteriosas, o Ministério da Agricultura reforça o pedido para que a população tenha cuidado e não abra encomendas recebidas pelo correio de pacotes de sementes não solicitadas, seja qual for o país de origem.

Da mesma forma, quem receber sementes misteriosas em casa, provenientes do exterior, o Ministério da Agricultura recomenda a entrega do material em uma das unidades do ministério no seu estado ou no órgão estadual de defesa agropecuária.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.


Foto: Matt Briney.

Por Redação em 05/10/2020

O caso das sementes misteriosas ganhou o mundo. Aqui no Brasil, subiu para 23 o número de estados que registraram o recebimento de sementes misteriosas vindas de países asiáticos. O Distrito Federal também tem casos registrados. Já há relatos de fungos encontrados nas sementes misteriosas.

De acordo com o Ministério da Agricultura, ao receber pacotes não solicitados, especialmente com sementes, a orientação é não descartar no lixo comum.

“Primeiramente, entre em contato com a agência de defesa agropecuária do seu estado. Eles recolherão estas amostras e enviarão para análise”.

Tão importante quanto esta informação, é não plantar as sementes, explica o Ministério da Agricultura em nota oficial.

Ao todo, 199 amostras já foram recolhidas e encaminhadas para análise no laboratório.

Sementes misteriosas foram plantadas

Surpreendentemente, em Maringá, no Paraná, algumas das sementes misteriosas foram plantadas indevidamente, e o "risco de proliferação se tornou muito alto", contou Renato Rezende, Gerente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Paraná.

“A planta exótica cresceu rapidamente e diversas pessoas pediram mudas para transplantar. Se for uma planta daninha, pode vir a trazer problemas na agricultura e no meio ambiente também”, explicou enquanto uma equipe fazia a retirada.

Da mesma maneira que no Paraná, na Bahia, de acordo com a reportagem do Fantástico, sementes misteriosas também foram plantadas.

Uma doceira recebeu um envelope endereçado a ela, indicando o envio de sementes de bonsai. Após plantar, ela percebeu que não era, e por fim procurou a agência reguladora do estado, que prontamente fez a retirada.

Fungos encontrados nas sementes misteriosas

O material recolhido na Bahia já foi encaminhado para laboratório que fica em Goiânia.

Lá os técnicos analisam se as sementes estão contaminadas com algum tipo de vírus ou bactéria, e se podem oferecer algum risco à saúde dos brasileiros.

“Por enquanto nenhum laudo foi concluído, mas ao Fantástico, fontes oficializaram que já foram encontrados fungos em algumas amostras”, disse a reportagem.

No Mundo

As sementes misteriosas também chegaram em outros países.

Atualmente, países como Austrália, Nova Zelândia, Índia, Polônia, Alemanha, França Holanda, Reino Unido, Irlanda, Chile e Canadá registraram recebimentos.

Nos Estados Unidos, um dos primeiros países a registrarem casos de sementes enviadas pelos “correios” sem serem solicitadas, é também onde as investigações estão mais avançadas.

De acordo com Osama El-Lissy, um dos diretores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, já foram identificadas mais de 300 tipos de sementes.

“São plantas ornamentais, frutas, ervas daninhas, vegetais. Algumas estavam contaminadas com pragas”, declarou a reportagem.

Quer saber mais sobre o assunto, clique aqui.


Foto: Etty Fidele.

Por Redação em 05/10/2020

O Banco Central (BC) divulgou uma nota oficial na última quinta-feira (01/10/2020) sobre o uso do PIX. Anteriormente já falamos sobre o PIX aqui no altavista.news. Trata-se de um novo meio de pagamentos e transferências desenvolvido pelo BC. O PIX é um serviço gratuito, mas com exceções.

PIX será gratuito

A princípio o PIX gratuito vale para todas as pessoas físicas (CPF) que tiverem contas em bancos e empreendedores individuais, inclusive os microempreendedores individuais.

De acordo com o Banco Central, uma transação financeira ou pagamento poderá ser realizado a qualquer dia da semana e horário, e a quantia cai na mesma hora.

Apesar disso e de todas essas facilidades, isso vale para os casos de PIX enquanto serviço gratuito.

Em sua nota, o Banco Central declarou que com a PIX, na prática, haverá redução de custos para as instituições financeiras. Ou seja, já uma expectativa de que o PIX substituía os nosso já conhecidos DOC e TED.

As exceções no PIX

Por outro lado, como em toda regra há exceções, as pessoas jurídicas (CNPJ), poderão ser tarifadas pelas instituições financeiras ou de pagamento que ofertarem o serviço.

“Há também exceção na gratuidade do serviço para pessoas físicas : quando recebem pagamento de venda de produto ou de serviço prestado; ou ao usar canal presencial ou de telefonia para realizar um PIX”, informou o Banco Central.

O Banco Central, por sua vez, exigiu a disponibilização do PIX para bancos com mais de 500 mil clientes.

Em contrapartida, outras instituições financeiras também poderão aderir ao serviço.

PIX: cadastramento

Embora o início da operação esteja prevista para 11 de novembro, a partir de hoje, 5 de outubro de 2020, os futuros usuários já poderão se cadastrar no PIX. O intuito do Banco Central é que eles se familiarizem com a nova ferramenta.

Para ler mais a respeito do PIX, clique aqui.


Foto: reprodução/Youtube.