Qual a diferença entre blockchain e DLT?

Qual a diferença entre blockchain e DLT?

Você sabe qual a diferença entre blockchain e DLT (tecnologia distribuída de livro-razão)? O assunto está super em alta, mas ainda se usa de maneira incorreta os conceitos.

Por Redação em 27/08/2020

Você sabe qual a diferença entre blockchain e DLT (tecnologia distribuída de livro-razão)? O assunto está super em alta, mas ainda se usa de maneira incorreta os conceitos.

Buscamos orientações no Portal Guia do Bitcoin para lhe ajudar a entender e empregar melhor estes termos. Então vamos aos conceitos:

DLT, tecnologia distribuída de livro-razão

Segundo o Guia do Bitcoin, DLT, um livro razão distribuído, é um banco de dados distribuído por “vários nós ou dispositivos de computação”. Desta forma, cada nó cria e salva uma cópia idêntica ao do razão. Cada um desses nós participantes da rede é atualizado de maneira independente. “O recurso inovador da tecnologia de contabilidade distribuída é que a planilha não é mantida por nenhuma autoridade central. Atualizações para o livro-razão são independentemente construídas e registradas por cada nó. Os nós então votam nessas atualizações para garantir que a maioria concorde com a conclusão alcançada. Esta votação e acordo em uma cópia do livro-razão é chamada de consenso e é realizada automaticamente por um algoritmo de consenso. Uma vez que o consenso tenha sido alcançado, o livro-razão distribuído se atualiza e a última versão acordada é salva em cada nó separadamente”.

De acordo com informações do portal, a DLT reduz consideravelmente o custo da confiança, isso em decorrência da tecnologia utilizada. O sistema responsável pela conformidade regulatória, que envolve bancos, governos, advogados, notários e funcionários, é sistematizado por estruturas e arquitetura de sistemas. “Registros distribuídos apresentam um novo paradigma de como as informações são coletadas e comunicadas e estão prontas para revolucionar o modo como indivíduos, empresas e governos realizam transações”.

Blockchain

A proposta da blockchain é manter uma forma de tecnologia de contabilidade distribuída. Ressalta-se aqui que nem todos os DLT- livros-razões distribuídos –  utilizam uma cadeia de blocos para fornecer um “consenso distribuído seguro e válido”.

Conforme informações do Guia do Bitcoin, “uma blockchain é distribuída e gerenciada por redes par-a-par (p2p). Como é um livro-razão distribuído que pode existir sem uma autoridade centralizada ou servidor gerenciando-o, e sua qualidade de dados pode ser mantida pela replicação do banco de dados e pela confiança computacional”.

Cada blockchain é um livro-razão distribuído, mas nem todo livro-razão distribuído é uma blockchain.

No entanto, a estrutura da blockchain é diferente dos outros tipos de livro-razão distribuídos, pois os dados são agrupados e organizados em blocos. Vale lembrar que os blocos são ligados entre si e protegidos com criptografia.

Pode-se entender uma blockchain como uma lista crescente de registros. Desta forma, sua estrutura de anexação permite que os dados sejam adicionados e salvos no banco de dados. “É impossível alterar ou excluir dados inseridos anteriormente nos blocos anteriores. A tecnologia blockchain é, portanto, adequada para registrar eventos, gerenciar registros, processar transações, rastrear ativos e votar”.

O mercado de criptomoedas, como o Bitcoin, foi pioneiro no uso da tecnologia blockchain. Governo, empresas e pesquisadores estudam maneiras de aplicar a tecnologia blockchain para usos menos convencionais.

E então, qual a diferença entre blockchain e DLT?

Cada blockchain é um livro-razão distribuído, mas nem todo livro-razão distribuído é uma blockchain.

Quer saber mais sobre o assunto, clique aqui.


Foto: Clifford Photography.