Big techs são de esquerda: veja quem elas financiam

Big techs são de esquerda: veja quem elas financiam

2ndVote é uma organização que rastreia as atividades políticas de corporações. Todas as big techs mapeadas tem um claro viés de esquerda.

Por Redação em 20/10/2020

Facebook, Apple, Amazon, Google, Samsung, Twitter e Microsoft são as maiores empresas de tecnologia do mundo em capitalização de mercado: as chamadas big techs. Todos nós usamos alguns de seus produtos diariamente. Estas empresas também estão regularmente envolvidas no ativismo ideológico de esquerda.

2ndVote é uma organização que rastreia as atividades políticas das corporações e atribui a elas uma pontuação em uma escala de 1 (a mais esquerda) a 5 (a mais direita). Ela analisa uma variedade de tópicos, desde o aborto ao controle de armas e liberdade religiosa.

O que as big techs andam financiando?

A Amazon, por exemplo, faz doações para “instituições de caridade” que financiam a rede abortista Planned Parenthood e o Population Council, uma organização que defende o aborto como forma de redução da pobreza.

O Twitter co-patrocinou campanhas corporativas de oposição à liberdade religiosa em Indiana e na Geórgia. O Facebook faz uma doação para Girls Inc., uma organização abortista. A Apple faz doações para a Brady Campaign, um grupo anti-armas de linha dura.

Estes são apenas alguns exemplos. No site da 2ndVote você mesmo pode ver acompanhar estas empresas e suas extensas listas apoio a esquerda.

Não supreendentemente, Microsoft, Apple, Facebook, Samsung e Google têm a pontuação mais baixa possível. Em outras palavras, são monoliticamente esquerdistas de acordo com as métricas do 2ndVote. Twitter e Amazon tem pontuação um pouco maior, mas ainda estão abaixo da média.

O que fazer?

Primeiramente, lembre-se de que essas são algumas das maiores empresas em todo o mundo. O setor de tecnologia, que exerce imensa influência em nossa vida diária, tornou-se um bastião quase absoluto do ativismo ideológico.

Como essas corporações podem fingir ser imparciais quando vemos suas atividades tendenciosas claramente expostas? Como podemos esperar que tratem seus usuários com justiça quando rotineiramente se mostram interessados ​​em promover objetivos ideológicos?

E não ficaremos, ou não deveríamos ficar, surpresos quando tais empresas banirem pessoas por apoiar determinada ideia ou partido. Por isso, vamos dar força para plataformas concorrentes antes que isso se torne um problema maior.

Para ler a matéria completa, acesse o site Townhall Finance.


Foto: Markus Spiske.

TAGS