Papa é criticado por defender casamento homossexual

Papa é criticado por defender casamento homossexual

O Papa Francisco foi criticado por um importante arcebispo, Carlo Maria Viganò, por defender casamento homossexual civil.

Por Redação em 01/12/2020

O arcebispo Carlo Maria Viganò publicou um artigo nesta quarta-feira condenando uma declaração do papa Francisco sobre a união civil homossexual.

Em seu artigo, Viganò chega a dizer que Francisco estaria tentando provocar uma ruptura na Igreja. Ou seja, ele acusa o maior líder católico de cometer “heresia” e provocar um “escândalo para os fiéis” da Igreja romana.

Viganò escreveu o seguinte para o site Life Site News: “Não é preciso ser teólogo ou especialista em moral para saber que tais afirmações são totalmente heterodoxas e constituem uma causa gravíssima de escândalo para os fiéis”.

O posicionamento do papa sobre casamento homossexual

Em um documentário que foi ao ar nesta quarta, o papa Francisco defende o direito de homossexuais constituírem união civil. Conforme ele disse, “As pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso”.

“O que precisamos criar é uma lei de união civil. Dessa forma eles são legalmente contemplados. Eu defendi isso”, explicou o líder católico.

Antes de tudo, é importante deixar claro que não se trata de uma defesa do casamento gay, mas de reconhecimento de direitos civis perante o Estado. Em outras palavras, o Papa apoia que dois homossexuais vivam juntos e celebrem um casamento civil, mas não é a favor de que a igreja seja forçada a celebrar uma cerimônia de casamento homossexual.

Entretanto, de acordo com o arcebispo, “Essa armadilha teria o propósito de consolidar seu próprio poder dentro de uma Igreja que seria apenas nominalmente ‘católica’, mas na realidade seria herética e cismática”.

Para ler a matéria completa, acesse o site Opinião Crítica.


Foto: Kai Pilger.