Saúde Digital

Aqui vamos falar sobre a repercussão do uso de novas tecnologias na saúde das pessoas e as mudanças que estão ocorrendo no segmento da saúde devido aos impactos de tecnologias como blockchain, big data, inteligência artificial e IoT.
e-Gov: tecnologia a serviço do cidadão

e-Gov: tecnologia a serviço do cidadão

Tecnologia a serviço do cidadão: o e-Gov é a digitalização dos serviços para a população. Veja o que pode melhorar na vida das pessoas.

Por Redação em 11/09/2020

Não é de hoje que ouvimos falar que o mundo é tecnológico, que é preciso estar informado e dominar algumas práticas do mundo virtual. E agora, mais que sempre, pode-se afirmar que tecnologia está inserida da vida do cidadão: é o e-Gov.

Isso porque com o surto de Covid-19 no Brasil e em seguida a declaração da ONU sobre a pandemia causada pelo vírus chinês, quase metade da população brasileira entrou em quarentena.

Vários setores tiveram que se reinventar e muitos optaram por inovações tecnológicas. A tecnologia a serviço do cidadão, como sempre sonhamos. Veja alguns cases:

Recife

Em 12 de março, Recife (PE) registrava os dois primeiros casos de Covid-19. Além das estimativas assustadoras sobre o surto de Covid-19, pouco estava sendo feito.

Foi então que a Prefeitura de Recife lançou, 15 dias após os primeiros casos, uma plataforma de telemedicina Atende em Casa, que faz a triagem de casos suspeitos em que o cidadão informa seus sintomas.

Segundo relatado pelo Portal Instituto Millenium, os pacientes considerados moderados e/ou graves são atendidos em uma teleconsulta com médicos e enfermeiros, que avaliam o caso e decidem se o paciente fica em quarentena em casa ou é encaminhado para atendimento hospitalar.

Há uma camada de análise e cruzamento de dados para prover ao gestor público informações que permitam a realocação de equipes de saúde, a abertura de novos leitos e o acompanhamento dos casos pelo aplicativo”, diz Hamilton Alves Pessoa, fundador da startup Fábrica de Negócios, uma das empresas envolvidas na criação do aplicativo encomendado pela prefeitura de Recife e pelo estado de Pernambuco.

Simples Receita – de São Paulo para o mundo

Foi em São Paulo que nasceu a plataforma Simples Receita, que interliga pacientes, médicos e farmácias. Utilizando sistema de blockchain, a wconnect, desenvolvedora do Simples Receita, adotou como norte para a criação da plataforma evitar que pacientes considerados do grupo de risco para a Covid-19 tenham exposição desnecessária. Desta forma, o paciente é atendido virtualmente, e a receita médica é encaminhada para a farmácia que entregará o medicamento em casa, evitando que o paciente saia de casa e seja exposto ao vírus.

“Pacientes do grupo de risco da Covid-19 não podem se expor a qualquer momento. E se pensarmos nos cardíacos, que tomam medicamento contínuo, por exemplo, a ideia é que eles façam todo o atendimento de forma virtual e recebam o medicamento em casa, evitando a exposição desnecessária dos pacientes ao vírus”, explicou Maurício Conti, CDxO da Wconnect, idealizadora do Simples Receita.

A iniciativa da Wconnect foi considerada uma das mais inovadoras do mundo, pelo Santander X Tomorrow Challenge.

e-Gov

Milhares de brasileiros estão adotando o distanciamento social e boa parte das cidades estão com medidas restritivas ao exercício de diversas atividades, principalmente as econômicas.

Enquanto isso, governos estaduais e municipais correm contra o tempo para digitalizar serviços públicos e converter a tecnologia a favor do cidadão. O avanço do e-Gov é uma solução para muitos problemas.

Primeiramente porque evita que o cidadão vá pessoalmente aos órgãos públicos resolver suas questões. Com o uso da tecnologia, ele pode resolver tudo da sua própria casa ou empresa.

“Com a emergência social provocada pelo coronavírus, parece que o Estado brasileiro descobriu que pode andar muito mais depressa do que imaginava na transformação digital”, diz Gustavo Maia, fundador da startup Colab, plataforma de zeladoria urbana adotada em mais de 100 cidades brasileiras.

e-Gov no mundo

Países como Dinamarca, Reino Unido e Coreia do Sul já têm suas próprias estruturas digitalizadas dos serviços públicos. É a tecnologia a serviço do cidadão. Segundo o Portal Instituto Millenium, desde 2016, no Brasil, um grupo de 200 técnicos da área de tecnologia hoje alocados na Secretaria de Governo Digital, do Ministério da Economia, trabalha na digitalização dos serviços do Governo Federal.

Toda esta transformação digital representa hoje uma economia de 2,3 bilhões de reais aos cofres públicos por ano. Com a pandemia, novas ferramentas entraram em cena, como por exemplo o aplicativo da Caixa Econômica Federal para liberar o auxílio emergencial. “Sem dúvida, a pandemia foi um estímulo a mais para acelerarmos a implantação dos serviços digitais, que viraram uma questão emergencial”, diz Luis Felipe Salin Monteiro, secretário de governo digital.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.  


Foto: David Monje.