Cambridge “previu” pandemia em 2014?

Cambridge “previu” pandemia em 2014?

Artigo da Cambridge de 2014 estudou possíveis desdobramentos de um vírus fictício “H8N8” que se espalharia pelo mundo.

Por Redação em 05/11/2020

Em 2014, a universidade Cambridge publicou um artigo intitulado São Paulo Vírus Pandemic Scenario (Cenário de Pandemia por Vírus em São Paulo), onde estuda os possíveis desdobramentos de uma pandemia causada por um “vírus fictício H8N8”, que se alastraria do Brasil para o mundo.

A recessão econômica

O vírus mataria de 19 a 25 milhões de pessoas a nível global, em diferentes variantes do cenário.

De acordo com o artigo, assim que a Organização Mundial da Saúde declarasse uma pandemia, os governos responderiam fechando escolas e suspendendo reuniões públicas.

Então, a pandemia desencadearia uma recessão global, que chegaria ao ponto mais crítico em cerca de um ano. Depois disso, haveria ainda uma queda no PIB ao longo de 5 anos. A recessão impulsionada pela pandemia afetaria as taxas de juros, balanço de pagamentos, classificações de crédito e taxas de câmbio de diferentes países.

O mundo perderia entre US $ 7 trilhões e US $ 17 trilhões de PIB em cinco anos, quase tão severo quanto a crise financeira global de 2007-2012. O preço das ações sofreriam, de modo que “uma carteira de investimento típica tem retornos negativos”. Os mercados de títulos de longo prazo também sofreriam, principalmente na Zona do Euro e no Reino Unido.

O que causaria a pandemia fictícia da Cambridge?

A Cambridge, dentre vários possíveis desencadeadores de pandemias, deu destaque para uma pandemia causada pelo Homem.

Muitos países possuem laboratórios de pesquisa biológica sofisticados que lidam com patógenos perigosos. Tais laboratórios – Nível de Biossegurança 3 e acima – funcionam com elevados padrões de segurança, mas são sistemas complexos e acidentes acontecem.

“Existem agora pelo menos 42 laboratórios conhecidos atualmente trabalhando com patógenos pandêmicos potenciais (PPPs) – ou seja, vírus H5N1, versões vivas do vírus influenza de 1918 ou o vírus SARS. As estatísticas sobre o registro de acidentes de laboratórios mostram que os incidentes são raros, mas significativos. Mais de 5.000 pesquisadores sofreram de algum tipo de infecções adquiridas em laboratório (LAIs) desde 1930, e quase 200 morreram.”

Universade Cambridge, São Paulo Vírus Pandemic Scenario

Previu pandemia e a reação da mídia?

De acordo com o artigo, a Cambridge previu que a mídia reagiria de forma alarmista em um cenário de pandemia.

Os relatos da mídia são alarmistas, com manchetes como “Uma pandemia mortal a caminho”. Um porta-voz da OMS é rápido em desacreditar esses relatórios e alertar contra reações desnecessárias. No entanto, os mercados de ações internacionais são afetados pelas notícias, com um impacto particular nas moedas latino-americanas e nos mercados regionais. Os preços das ações caem para empresas internacionais que exportam para o Brasil, principalmente fornecedores de máquinas e transporte público e fornecedores de produtos químicos.

Universade Cambridge, São Paulo Vírus Pandemic Scenario

Para acessar o estudo da Cambridge, clique aqui.


Foto: engin akyurt.