“Não conseguimos demonstrar eficácia ou segurança”, diz BioNTech em documento oficial

“Não conseguimos demonstrar eficácia ou segurança”, diz BioNTech em documento oficial

Em relatório anual para a Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos EUA (SEC), BioNTech

Por Redação em 12/05/2022

Em documento oficial, a BioNTech admitiu que “não conseguimos demonstrar eficácia ou segurança” das “vacinas para Covid-19”, que foram feitas em conjunto com a Pfizer.

No dia 30 de março, a BioNTech divulgou para a Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos EUA (SEC) seu relatório anual para o ano fiscal que termina em 31 de dezembro de 2021. O documento, chamado “formulário 20-F”, é um formulário utilizado por empresas estrangeiras onde 50% ou menos de suas ações são detidas por cidadãos americanos e podem ser negociadas dentro dos mercados americanos.

Estes relatórios anuais fornecem informações para investidores e potenciais investidores para que possam tomar uma decisão informada quando se trata de comprar ações da empresa.

Na página 6, a BioNtech diz o seguinte: “Podemos não ser capazes de demonstrar eficácia ou segurança suficiente de nossa vacina para COVID-19 e/ou formulações específicas de variantes para obter aprovação regulatória permanente nos Estados Unidos, Reino Unido, União Européia ou outros países onde tenha sido autorizada para uso emergencial ou tenha sido concedida aprovação condicional de comercialização”.

Na sua forma atual, a vacina Pfizer/BioNTech COVID “recebeu aprovação total da FDA dos EUA para indivíduos com 16 anos ou mais”, de acordo com o relatório.

Para mais detalhes, clique aqui.


Foto: Mat Napo