Leis de proteção de dados: é o momento de pôr a casa em ordem

Leis de proteção de dados: é o momento de pôr a casa em ordem

As leis de proteção de dados passaram pela União Europeia (GDPR), aterrizaram no Brasil (LGPD) e hoje mais de 100 países contam com leis semelhantes.

Por Redação em 16/06/2020

As leis de proteção de dados passaram pela União Europeia em 2016, aterrizaram no Brasil em 2019 e hoje mais de 100 países diversos contam com leis semelhantes. Este é o momento perfeito para de colocar a casa em ordem, reposicionando a estratégia de proteção aos dados de usuários.

De acordo com o artigo da Capgemini publicado no portal Brand Publishing Brasil, Patrícia Evans apontou a falta de controle por parte das empresas em relação aos dados de seus clientes.

A proposta das leis de proteção de dados vai justamente ao encontro de implementar sistemas de verificação e controle, o que resulta em segurança para o cliente e em oportunidades de melhoria contínua para as empresas. Quanto mais ampla a proteção, mais próxima está a empresa do perfil do seu cliente. Desta maneira, possibilita as marcas terem relatórios cada vez mais precisos sobre a necessidade de cada cliente, um verdadeiro raio-x.

O novo já nasce velho.

Para os entendidos do sistema, as leis de proteção de dados já nasceram com velhos dilemas. De um lado o blockchain, que funciona como um registro imutável de dados. Do outro, o direito ao esquecimento.

Sabe-se que toda vez que os dados de cliente entram na blockchain, é impossível retirá-los de lá, o oposto do previsto pelas leis de proteção de dados dos consumidores.

Ou seja, mudanças de leis vem por aí.

Com informações do portal Brand Publishing Brasil.


Foto: freepik