Inteligência de Negócios

Como interpretar dados para gerar informações úteis para as empresas. É pra isso que serve a inteligência de negócios, muitas vezes também chamada de BI ou de business intelligence, o termo original em inglês. Este canal é para apresentar conteúdos relevantes para quem quer transformar sua empresa numa empresa orientada a dados (data driven business).
IBGE prevê alta na safra de 2021

IBGE prevê alta na safra de 2021

Alta na safra 2021: produção nacional de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas deve atingir o índice de 253,2 milhões de toneladas.

Por Redação em 19/11/2020

A produção nacional de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas para 2021 deve ter uma alta de 0,5%, atingindo o índice de 253,2 milhões de toneladas. É uma alta significativa na safra de 2021.

A informação foi divulgada pela Agência Brasil e tem como fonte o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o órgão, o aumento deve representar cerca de 1,248 milhão de toneladas.

Segundo o IBGE, o crescimento ocorrerá principalmente pela alta na produção de soja e de milho.

“A produção da soja, com crescimento de 4,6% ou 5,6 milhões de toneladas, e do milho primeira safra, que deve subir 1,7% ou 445 mil toneladas”.

Em contrapartida, de acordo com a publicação, haverá declínio na produção do milho segunda safra (-5,4% ou 4 milhões de toneladas), do arroz (-2,4% ou 260, 5 mil toneladas), do algodão herbáceo (-11,9% ou 837,9 mil toneladas), do feijão primeira safra (-2,2% ou 28,5 mil toneladas), do feijão segunda safra (-4,5% ou 45,4 mil toneladas) e do feijão terceira safra (-6,5% ou 38,6 mil toneladas).

Área plantada e área colhida

Segundo o IBGE, sobre o assunto área plantada prevista, a estimativa é que a soja em grão cresça 1,2%, o milho em grão primeira safra (1,7%) e o milho em grão segunda safra (1,0%).

Devem ocorrer variações negativas nas áreas do algodão herbáceo em caroço (-8,6%), do arroz em casca (-1,1%), do feijão primeira safra (-0,3%), do feijão segunda safra (-3,1%) e do feijão terceira safra (-4,9%).

De acordo com a Agência Brasil, “a estimativa de outubro para a safra de 2020 alcançou 252 milhões de toneladas, o que é 4,4% superior à de 2019, quando foram produzidas 241,5 milhões de toneladas”.

Já sobre a área a ser colhida em 2020, os números alcançam os 65,3 milhões de hectares, aumento de 2,1 milhões de hectares frente a 2019, ou 3,3%.

Os principais produtos são o arroz, o milho e a soja, que somam 92,6% da estimativa da produção e 87,1% da área a ser colhida.

Para ler a reportagem da Agência Brasil na íntegra, sobre a alta na safra de 2021, clique aqui.


Foto: Meriç Tuna.