Efeitos de rede: Parte 5 – Conceitos relacionados

Efeitos de rede: Parte 5 – Conceitos relacionados

Efeitos de rede são importantes para o crescimento de qualquer empresa. Vamos entender porque são diferentes de marca e viralidade.

Por Redação em 30/04/2021

Estamos analisando efeitos de rede aqui no altavista.news. Já discutimos o que eles são, os diferentes tipos, e como criá-los e mantê-los.

Crescimento geométrico (exponencial / não linear) vs. crescimento linear

As empresas sem efeitos virais ou de rede tendem a produzir um crescimento linear. Esse, entretanto, não é o tipo de crescimento estimulante e de alto impacto que todos procuramos.

As empresas de efeito de rede, assim que atingem o ponto de inflexão, normalmente mostram crescimento geométrico, seja porque a) são virais ou b) suas métricas são tão boas que podem comprar o tráfego em comparação com outros concorrentes.

Efeitos virais não são efeitos de rede

Os efeitos virais são diferentes dos efeitos de rede, mas muitas pessoas confundem os dois. Os primeiros agregam valor a um produto quando mais pessoas o usam.

Os efeitos de rede são sobre retenção e defensibilidade. Entretanto, os virais são sobre como fazer com que novos usuários usem seu produto.

Muitos produtos podem ter efeitos virais sem ter efeitos de rede. Tornar-se viral não tornou o JibJab, o Buzzfeed ou o QuizUp tão valiosos quanto o Facebook .

Além disso, produtos com efeitos de rede não têm necessariamente viralizam. Um mercado B2B poderia facilmente usar publicidade paga para atrair compradores e vendedores e construir um efeito de rede de mercado de dois lados com viralidade zero.

Reforço

O importante a saber sobre os efeitos de rede é que, uma vez que você tem um, é muito mais fácil construir todas as outras defensibilidades em cima dele. Este “efeito de reforço” é frequentemente subestimado pelos Fundadores, especialmente quando eles estão preocupados com o crescimento. Buscar por e lançar novas defensas é importante porque elas se reforçam.

Marca

A marca é uma defesa poderosa. Aliás, é fácil confundir marca com efeitos de rede, mas são coisas diferentes.

A marca surge quando as pessoas sabem quem você é e o que faz. Uma identidade de marca bem estabelecida vem com custos de troca psicológicos. As pessoas tendem a ser avessas ao risco e evitar o desconhecido: isso dá a você uma vantagem competitiva.

Incorporação

A incorporação é realizada integrando seu produto diretamente nas operações do cliente para que o cliente não possa eliminá-lo e substituí-lo por um concorrente sem incorrer em custos significativos em tempo, energia ou ambos. Em outras palavras, a incorporação diretamente aumenta os custos de troca como parte do processo de adoção do usuário.

A incorporação pode funcionar com efeitos de rede para tornar sua empresa mais defensável, mas são conceitos separados. Exemplos de incorporação incluem Workday, Oracle ou SAP – e como esses exemplos mostram, a incorporação é mais prevalente quando os clientes são organizações, não indivíduos (é difícil incorporar nas “operações” da vida pessoal). Dito isso, a incorporação existe principalmente para produtos B2C.

Para mais detalhes, clique aqui.


Foto: Toa Heftiba.