Bruno Covas: novo lockdown é “fake news”

Bruno Covas: novo lockdown é “fake news”

Bruno Covas (PSDB) descartou a possibilidade de um novo lockdown após as eleições e disse que estão espalhando "fake news" a respeito.

Por Redação em 01/12/2020

O atual prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou que não teremos um novo lockdown após as eleições e que os boatos a respeito disso são fake news. Ele reiterou isso tanto em uma coletiva de imprensa quanto no debate com Boulos transmitido pela Band.

De acordo com o prefeito, a cidade de São Paulo está em “estabilidade de evolução na pandemia”. Entretanto, ele também não pretende flexibilizar as ações de quarentena.

Além disso, Covas disse que em São Paulo “não há espaço para nenhum discurso extremista”, entretanto, mas não deu especificou quais discursos seriam radicais.

Taxa de ocupação de leitos

Apesar de descartar o risco de uma segunda onda, Covas confirmou a elevação da taxa de ocupação de leitos de UTI no município, justificando-a com a redução no número de leitos.

De acordo com informações dadas durante a coletiva pelo secretário municipal de saúde, Edson Aparecido, a rede pública da capital tem 45% de ocupação de UTIs em leitos para a covid-19 e a rede privada tem 76%.

O secretário municipal de saúde concorda com Covas e descarta lockdown

Edson Aparecido concorda com Covas a respeito da inexistência de uma segunda onda na capital paulista. Conforme ele disse, o comportamento da pandemia no Brasil foi diferente em comparação com outros locais, como a Europa, onde houve políticas de confinamento mais rígidas.

“O comportamento da pandemia em São Paulo e no Brasil é diferente do que foi no resto do mundo. Ainda estamos no primeiro processo, com variações constantes de óbitos e internações. Não dá para dizer que estamos em uma segunda onda”

Edson Aparecido, secretário municipal de saúde

Como ficam as aulas?

Dado que não haverá flexibilização, as aulas regulares para o ensino médio continuarão com autorização para acontecer de forma presencial.

Professores do ensinos infantil e fundamental continuam apenas com a autorização para realizar atividades extracurriculares (como aulas dança ou línguas) de forma presencial. As regras valem para as escolas públicas e particulares localizadas na capital paulista.

Recordar é viver: veja quais foram as atitudes anteriores de Covas e o que a OMS disse sobre Lockdown

Meses atrás, Covas mandou soltar portas de comércios. Entretanto, o Dr. David Nabarro, da OMS, criticou o lockdown recentemente e pediu para que os governantes parem de “usar lockdown como seu método de controle primário”. De acordo com ele, “Os lockdowns tem apenas uma consequência que você nunca deve menosprezar: torna os pobres muito mais pobres”.

Para ler a matéria completa, acesse o site UOL.


Foto: Reprodução/YouTube.