Tecnologia em Finanças e Seguros

Fintechs e Insurtechs estão revolucionando o mercado financeiro brasileiro e mundial. Novos marcos regulatórios como o banco digital, o Pix e o openbanking, são o drive destas mudanças. Neste canal vamos discutir negócios e tecnologias relacionadas a este novo mundo.
A diferença entre criptomoedas e blockchain

A diferença entre criptomoedas e blockchain

Aprenda, definitivamente, qual a diferença entre criptomoedas e blockchain, e a qual a relação tecnológica entre eles.

Por Redação em 29/01/2021

“Blockchain e criptomoedas estão intimamente conectadas desde o nascimento de ambas. Entretanto, ao longo dos anos, foram descobertas várias possibilidades de uso da blockchain, além de servir como código fonte para as criptomoedas”. A afirmativa é de Gabriel Dias em matéria para o Portal Blockmaster, referindo-se a diferença entre criptomoedas e blockchain.

Sim, mesmo que um tenha surgido em função do outro, um se sobressaiu e criou inúmeras finalidades de uso.

Conforme explicou Gabriel Dias, a primeira moeda digital descentralizada foi o Bitcoin.

E apesar de ele ter surgido tendo como base a tecnologia de Blockchain, a blockchain se desenvolveu e rompeu as fronteiras que delimitavam seu uso e aplicação.

Blockchain

Como já noticiamos aqui no Altavista.news, blockchain é uma cadeia de blocos interligados de forma criptográfica, imutável e distribuída.

Assim, esses blocos são replicados para todos os computadores que desejam participar da rede. É dessa forma que ficam registrados de forma descentralizada.

Em outras palavras, se alguém tentar alterar uma transação em um bloco passado, precisa alterar todos os blocos que foram validados (ou minerados) depois dele.

“É uma tarefa de probabilidade muito baixa e custo altíssimo, praticamente impossível. Por isto fala-se que o blockchain é imutável”, contou Solange Gueiros, líder Blockchain na Atlas Quantum, ao Portal Blockmaster.

Ela inclusive cita que o blockchain surgiu com o objetivo de registrar as informações em um determinado carimbo do tempo, em uma estrutura criptografada com possibilidades mínimas de fraude.

Ou seja, segurança total, principalmente para as pessoas que atuam com criptomoedas.

Dinheiro digital (nem por isso menos real)

“Criptomoedas são emitidas como recompensas da mineração dos blocos, que é a validação das transações e a resolução de um algoritmo criptográfico. Criptomoedas não existem sem a existência de Blockchain”, disse a desenvolvedora e professora de blockchain, Solange Gueiros.

O contrário, entretanto, não é verdade. Conforme explicou Solange, a blockchain é uma tecnologia utilizada por várias criptomoedas (por isso não existem sem ela), mas a tecnologia em si é usada para uma infinidade de objetivos.

“Blockchain faz parte da infraestrutura das criptomoedas, mas pode existir sem elas. Já o contrário não é verdadeiro, as criptomoedas dependem de Blockchain”, relatou.

Para saber mais sobre o assunto e ler a matéria na íntegra, clique aqui.


Foto: Dmitry Demidko.